O Governo de Mato Grosso do Sul lançou nesta segunda-feira (6) campanha do Mês da Mulher que coloca o empreendedorismo como uma das formas de enfrentamento à violência doméstica. Batizada de “O protagonismo das mulheres sul-mato-grossenses”, a campanha trabalhará durante todo o mês de março em duas frentes: o empoderamento e o empreendedorismo feminino.

Fonte: Portal gov MS

“No tema empoderamento, nosso objetivo é dar às mulheres conhecimento acerca de seus direitos para que uma vez consciente ela (mulher vítima de agressão) possa buscar ajuda. No empreendedorismo, será o incentivo às mulheres (vítimas de violência) para que elas montem pequenas economias familiares, ou outra forma (de geração de renda), que possa garantir o sustento dela e o rompimento da dependência financeira com o agressor”, disse a subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres, Luciana Azambuja.

A campanha estadual foi lançada em alusão ao Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março. Para marcar a data, serão realizadas ações preventivas em nove regiões de Mato Grosso do Sul no mês de março. Entre as atividades que serão desenvolvidas estão palestras e rodas de conversa. A intenção é capacitar cerca de 350 mulheres que trabalham com vítimas de violência doméstica. “Para que (elas) possam fazer atendimento mais humanizado e especializado à sociedade”, disse Luciana Azambuja.

Além de Campo Grande, os municípios de Ponta Porã, Dourados, Jardim, Corumbá, Itaquiraí, Nova Andradina, Rio Verde e Aquidauana, e as cidades do entorno, terão atividades desenvolvidas em coordenadorias regionais que trabalham políticas públicas para mulheres.

Confira aqui a programação completa de atividades.

O evento de lançamento da campanha “O protagonismo das mulheres sul-mato-grossenses” foi realizado no Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam), que fica em Campo Grande. A solenidade reuniu, entre diversas autoridades, a vice-governadora Rose Modesto, a primeira-dama de Mato Grosso do Sul, Fátima Azambuja, a secretária de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho, Elisa Cleia, e a subsecretária de Políticas Públicas para Mulheres, Luciana Azambuja.

Conforme a vice-governadora, o Governo vem tendo “olhar especial” para o segmento, desenvolvendo políticas públicas que trabalham o enfrentamento à violência doméstica. “O poder público contribui com o combate à violência oferecendo canais de denúncia, local adequado para atendimento à vítima e capacitação e encaminhamento para o mercado de trabalho”, disse Rose Modesto. Já a primeira-dama defendeu que a política estadual de prevenção, proteção e repressão representam grandes avanços na sociedade.

Ceam

Localizado em Campo Grande, Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam) oferece atendimento psicossocial gratuito para mulheres vítimas de violência. “Temos psicólogas, assistentes sociais e pedagogas, para trabalhar com as crianças enquanto as mães são atendidas. O atendimento do Ceam é um serviço que vem aumentando porque o empoderamento feminino vem crescendo. Infelizmente a violência contra à mulher existe e uma vez que ela fica consciente de seus direitos começa a buscar a delegacia e o Ceam”, contou.

Segundo a Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres, em 2016 foram 2.192 atendimentos feitos no Ceam. Em 2015, a média foi de 1,9 mil. Nos últimos dois anos, 73 mulheres foram encaminhadas para cursos de capacitação e para o mercado de trabalho por meio da Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul (Funtrab), umas das parceiras no enfrentamento à violência contra à mulher. Nessa lista ainda estão o Sebrae e a Agraer, além de outras entidades públicas e privadas.

Informações podem ser obtidas pelo telefone 0800 67 1236.