Data é em alusão à Batalha Acosta Ñu

Midiamax

O Dia das Crianças é comemorado em 12 de outubro no Brasil, e é uma data que remete ao amor e à inocência dos pequenos. Mas no nosso vizinho Paraguai, a história é bem diferente.

Por lá, nesta quarta-feira, dia 16 de agosto, é comemorado o Dia das Crianças, ou o Día del Niño Paraguayo, em alusão a um episódio sangrento: a Batalha de Campo Grande, também conhecida como Batalha Acosta Ñu ou de Los Niños.

Paraguaios dedicam carinho à memória das crianças massacradas com dia que lembra batalha / Foto: Reprodução
Mulheres e crianças tiveram ampla participação na Guerra do Paraguai, e muitas foram massacradas / Foto: Reprodução
Mulheres e crianças tiveram ampla participação na Guerra do Paraguai, e muitas foram massacradas / Foto: Reprodução

 

Em 16 de agosto de 1869, em plena Guerra do Paraguai, um exército composto por 500 soldados veteranos e cerca de 3,5 mil crianças e adolescentes paraguaios enfrentaram o exército invasor de cerca de 20 mil soldados, a maioria brasileiros.

Muitas das crianças tinham entre 10 e 12 anos, mas segundo relatos históricos, algumas eram bem menores, talvez com 6 ou 7 anos de idade.

Conta-se que as crianças estavam revoltadas com as injustiças cometidas na guerra, que durou de 1864 a 1870 e teve o Brasil como país vitorioso. Com barbas postiças e os rostos pintados para parecerem mais velhos, foram dizimados em um campo posteriormente queimado por Conde D’Eu, membro da família de Dom Pedro.

Ainda segundo muitas histórias, grande parte das crianças que se viram em meio ao massacre corriam e agarravam as pernas dos combatentes brasileiros pedindo clemência, e eram degoladas na hora.

Hoje, as crianças de Acosta Ñu são lembradas como exemplo de heroísmo para o país, e batizaram a data, que é lembrada também como um período de “caçada humana”, já que a guerra estava quase terminada. Porém, o genocídio é pouco conhecido dos brasileiros hoje.