Somente em Campo Grande, nos primeiros oito meses de 2017, foram registrados 30 casos de furtos de animais de estimação.

G1

De janeiro a agosto deste ano foram registrados, nas delegacias de Mato Grosso do Sul, 60 furtos de animais de estimação. Metade dos casos foi em Campo Grande.

Um dos casos mais recentes foi registrado pelas câmeras de segurança. O vídeo mostra o momento em que um homem de bicicleta vê uma cachorrinha na calçada, pega o animal e vai embora, como se nada tivesse acontecido.

A dona de casa, Cristiane Faria, está muito abalada e nem consegue dormir direito, desde que a cadelinha da raça poodle foi furtada.

“Eu estou em reforma em casa, tem muita gente entrando e saindo e numa dessa ela ficou pra fora. Mas foi questão de dez minutos. Daí dei falta dela e quando eu saí ela já não estava mais” desabafa Cristiane.

Outro caso

O músico Israel de Alencar também enfrenta o mesmo drama. As fotos e a placa de metal com o nome gravado são as únicas recordações que ele tem do cachorrinho de estimação. Ted foi levado da varanda de casa. Um vídeo mostra quando ele se aproximou do portão e foi puxado pela pata.

“Minha filha tem dez anos, então ela se apega muito rápido a animalzinho de estimação. Então ela tá muito mal. Nós aqui em casa estamos com muita esperança de achar ele” explica Israel.

Crime

Segundo a polícia civil, os furtos e roubos de animais domésticos, principalmente cães, estão cada vez mais frequentes em Campo Grande. Somente este ano, 30 casos foram registrados nas delegacias da capital sul-mato-grossense.

Em geral, os criminosos aproveitam a oportunidade para furtar quando encontram os animais soltos nas ruas. Mas os ladrões também têm invadido os quintais para pegar os bichos.

Quem tiver o animal de estimação furtado pode prestar queixa na delegacia do bairro mesmo. Basta levar fotos, certidões e a carteira de vacinação.

Furtar animais é crime. Em caso de condenação, a pena pode chegar a oito anos de prisão.