Edição 2017 terminaria em março, mas aplicação da segunda etapa foi adiada para o segundo semestre por atrasos que, segundo o Inep, foram provocados por ações judiciais de candidatos; datas ainda não foram definidas.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) afirmou que as datas e regras de novas edições do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira, conhecido como Revalida, só serão divulgadas após a finalização da edição 2017 da prova.

O Revalida é realizado anualmente pelo Inep e é feito para brasileiros e estrangeiros que se formaram em medicina no exterior poderem validar seu diploma e atuar como médicos no Brasil.

O exame é sempre realizado em duas etapas. A primeira consiste em uma prova de múltipla escolha. Já a segunda é uma prova clínica, na qual os candidatos passam por diversas estações que simulam atendimentos a pacientes.

Prevista para acontecer em março, a segunda etapa do Revalida 2017 ainda não ocorreu. Ao G1, o Inep explicou que o atraso foi provocado por 1.377 ações judiciais de candidatos que tiveram a inscrição no exame indeferidas. Isso atrasou a divulgação dos resultados da primeira etapa e, como é preciso fazer uma licitação para cada etapa, o processo licitatório começou meses após o calendário previsto no edital.

O Inep apenas confirmou que a segunda etapa da edição 2017 será realizada no segundo semestre, mas, até a noite desta quarta-feira (4), as datas ainda não estavam definidas.

Edição 2018
Em nota, porém, o Inep afirmou que só vai anunciar as datas e regras da edição 2018 quando a edição 2017 for finalizada. “Novas edições do exame aplicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) só serão planejadas e anunciadas após a conclusão da edição vigente”, disse a autarquia.

O motivo, segundo o Inep, é a economia de recursos. “Considerando que o Revalida é subsidiado pelo Governo Federal e, tendo em vista a aplicação de recursos públicos de forma a atender o princípio da economicidade, o Inep quer evitar a duplicação no uso desses recursos. A medida evitará que potenciais aprovados no Revalida 2017, ao final das duas etapas do Exame, façam, preventivamente, inscrições também para o Revalida 2018.”

Fonte: G1